tradicao-familia

As férias terminam. As aulas começam. É tempo de fazer novos planos no escritório. Os dias ficam mais pequenos. As temperaturas ficam mais frias…

Mas nem tudo é mau.

Apetece ficar em casa e aproveitar todos os momentos para ser feliz. E muitas das vezes a felicidade é uma coisa tão simples.

Simples como juntar a família à volta da mesa ou na cozinha e aprender, partilhar, conviver…

E quem não se lembra daquelas tardes com a mãe, a avó ou a tia afastada? A Tarde inteira a fazer marmelada e geleia? As tardes que nos deixam saudades e nos fazem ficar nostálgicos.

Noutros tempos, sempre que chegava o outono, mandava a tradição que era altura de confeccionar marmelada para todo o inverno, para casa e para os vizinhos. Havia o hábito da partilha. Uma taça de marmelada para mim, uma para ti, outra para a prima, outra para a vizinha que é simpática e nos deu um quilo de laranjas o mês passado. Há que retribuir a simpatia!

E a sensação de prazer agradável à vista, quando se desenformava marmelada, aquele brilho fazia-nos, de imediato, crescer água na boca.

Mas, com a facilidade que existe nos dias de hoje, e com a imensa oferta de supermercados, está a perder-se o hábito (saudável) de fazer marmelada caseira.

Queridas mães que leem este texto, façam o favor de ‘ressuscitar’ esta tradição nas vossas casas. Esta tradição que une os miúdos e graúdos à volta de um tacho à espera que se acerte o ponto certo. Esta tradição que une famílias aos vizinhos, pelo ato singelo de partilhar uma tigela de marmelada.

Fazer marmelada caseira, além de um ato social, é a manutenção da tradição, é a manutenção de um hábito saudável…e o produto final é, inevitavelmente, mais saudável do que as opções disponíveis nas grandes superfícies.

A Kid to Kid investigou e deixa aqui algumas notas históricas acerca deste fruto tão esperado o ano inteiro, o marmelo.

Segundo o que dizem diversas fontes, supõe-se que o marmelo tem a sua origem no Médio Oriente, mas foram os gregos que o deram a conhecer ao mundo, chamando-lhe ‘maçã de ouro’, por simbolizar a fertilidade feminina.

Em Portugal, encontra-se facilmente o marmeleiro, a árvore que dá o fruto marmelo, no Ribatejo, Trás-os-Montes, Beira Alta, Minho e Beira Litoral.

O termo “marmelada” é de origem portuguesa. Pelos vistos, dos portugueses, adotaram dos ingleses a palavra “marmelade”, habitualmente uma geleia de frutos cítricos.

Receitas alternativas para este Natal

O Natal é uma época festiva muito saudável para as relações familiares, mas muitas vezes “desastrosa” no que toca à alimentação. Assim, a ideia é dar-lhe algumas receitas alternativas aos nossos doces convencionais, para os saborear sem culpa, pois têm ingredientes alternativos mais saudáveis e menos calóricos. Espero que goste e desfrute!

Lisboa

big-bang

BIG BANG – Festival de Música e Aventura para Crianças no CCB

Quando: 20 e 21 de outubro
Onde: Centro Cultural de Belém, Praça do Império, Lisboa

Mais informações

visita-jogo

Visita-Jogo ‘Do Aqueduto ao Reservatório da Mãe d’Água’

Quando: 21 de outubro, das 14h30 às 18h
Onde: Museu da Água, Rua Alviela, Lisboa

Mais informações

cinderella

Sessão de Cinema – CINDERELLA | A Gata Borralheira

Quando: 28 de outubro, às 15h
Onde: Palácio da Foz, Praça dos Restauradores

Mais informações

Porto

assustadoras-aboboras

Canteiro d’Imagen – Assustadoras Abóboras

Quando: 08 de outubro, das 10h30 às 12h
Onde: Rua de Monchique

Mais informações

colecionadores-historias

“Colecionadores de histórias”

Quando: 14 de outubro, das 10h às 13h
Onde: Av D. Afonso Henriques, 815, 1 Tz,- Matosinhos

Mais informações

historias-kamishibai

“Construção de histórias em Kamishibai”

Quando: 28 de outubro
Onde: Oficina da comunicação, Matosinhos

Mais informações